Tragédia no Amazonas

Nesse post escrevo sobre mais uma tragédia causada por participação em pirâmides financeiras, trata-se de um suicídio, se bem que já foi levantada a suspeita que pode ter sido homicídio.

Casos de suicídios geralmente não dados destaques na mídia, mas, esse caso é diferente, entendo que o povo de todos os segmentos deve saber do fato, dos motivos, e das dúvidas, e o fato não ficar apenas restrito aos clientes da unick.

Dito isso, vamos ao fato: Lamentavelmente mais um cliente da Unick não aguentou a pressão e ao prejuízo de 400 mil em pirâmides.

Informações preliminares apontam que vítima se suicidou num ato de desespero, pressionado pelas ameaças que recebia das pessoas para as quais ele apresentou a unick.

Ele era direto do líder de Manaus Luciano Kayffel, comparsa do Schinayder, cujo ponta de rede não lhe ajudou no momento que mais precisava.

Pelas imagens, que não vou publicar pois são imagens fortes e em respeito a família, mas adianto que pela posição do corpo e da arma, indica que ele pode ter sido mandado dessa vida para a outra, conforme suspeita levantada em áudios que circulam nos grupos WhatsApp.

Além de áudios que que abordam o fato, outro áudio descreve a forma de agir em relação a esses negócios arriscados e o outro áudio sobre a suspeita de queima de vítima que incomoda.

Coberto de vergonha, arrependimento, tristeza e injustiça, o Vereador do Careiro Castanho, município do Estado do Amazonas, o qual se chamava Livighton Farias, conhecido na Cidade, Cirurgião Dentista e respeitado pelos munícipes que representava decidiu por tirar a vida.

Perdeu 200 mil na Unick e tentou recuperar o prejuízo na Midas trend e na DD Corporation.

Colocou em cada uma 100 mil reais, mas na verdade, a pretensão não era apenas de recuperar o prejuízo, mas de devolver o dinheiro das demais vítimas da unick para as quais ele apresentou a pirâmide e lhe ameaçava.

Qual sentença vai reparar essa tragédia?

Será que a Justiça vai fechar os olhos para o deboche de fernando lusvarghi gravando vídeo nas redes sociais?

Será que essa tragédia vai ficar impune?

Será que o Ministério Público vai taxar os clientes que acreditaram nesses cretinos estelionatários como cúmplices?

Na verdade eram credores de boa fé e passam por todo tipo de constrangimento e indignação que as pirâmides causaram de norte a sul do Brasil.

Aliás, não basta cobrar só dos piramideiros, eles se esquivam, usam a lei em seu favor nos tais jeitinho brasileiro, é preciso cobrar com veemência da justiça a punição exemplar desses bandidos.

Dizem que a lei é igual para todos, e que todos são iguais perante a lei, apenas dizem, os fatos mostram que os bandidos estão usando dinheiro roubado das vítimas para pagar seus advogados, e as vítimas sem dinheiro ficam na rua da amargura.

Você que foi vítima de algum desses negócios fraudulentos, denuncie, exija justiça, cobre os órgãos competentes.