Metade da semana, feriadão à vista, e o otário aqui vai pagar para um funcionário público não trabalhar por 5 dias seguidos.

Ser funcionário público é motivo de reclamação de muitos, na verdade, são uns desavergonhados esses que reclamam, pois reclamam só da boca para fora.

Analise comigo para ver se estou errado: numa quarta-feira, véspera de feriado, a pessoa se finge de doente, pega um atestado e não vai trabalhar porque não tem condições de trabalhar, fora do local de trabalho se vangloria que fingiu que estava doente.

Com atestado, na quarta-feira não trabalha, na quinta-feira é feriado, na sexta-feira emenda o feriado, sábado e domingo funcionário público não trabalha, a não ser que seja em serviços essenciais.

Não é inveja, mas 5 dias sem trabalhar e com o salário garantido, e esse salário sendo eu que ajudo a pagar, é de se pensar.

Ao questionar uma pessoa dessas, o único argumento é um questionamento: Porque não entrasse para o serviço público? Terias as mesmas “vantagens” que eu.

Mas aí a minha resposta é lacradora: Não tenho caráter para fazer o mesmo que certos funcionários públicos fazem.

Aliás, o serviço público é bom para quem está começando ou para quem é ou está acomodado, e querer ganhar salário nas costas dos outros sem trabalhar e mentindo não é o meu forte.

Por isso é que nunca pensei em trabalhar no serviço público, sei que não conseguiria me dar bem lutando contra o “sistema”, então é melhor eu continuar sendo MEI e sofrendo com os péssimos serviços que são prestados pela maioria dos servidores do serviço público.

Obviamente que existem servidores públicos que merecem nosso respeito, mesmo porque, em todo lugar existem os bons e os maus.

Na iniciativa privada, no máximo, a folga é no feriado, e se pegar atestado já fica na lista amarela, são as diferenças entre trabalhar no serviço público e na iniciativa privada ou por conta própria, como dizem.

É Funcionário Público?